Vinho verde é um vinho que vem de uma região onde a predominancia de tonalidades é verde, vindo da vegetação exuberante e típida de uma região de bastante humidade.

Um Vinho Verde pode ser tinto, branco ou rosé, e pode, inclusive, ser expumante. É um vinho português, considerado único no mundo, produzido exclusivamente em uma única região.

Contudo o nome Vinho Verde não se deve apenas ao lugar onde crescem as vinhas: é nessa região que se produz um vinho típicamente acidulado, leve, medianamente alcoólico e de óptimas propriedades digestivas.

A região dos Vinhos Verdes é a maior zona vitícola portuguesa e situa-se no noroeste do país, coincidindo com a região não vitícola designada por Entre Douro e Minho. A região é rica em recursos hidrográficos, sendo limitada a norte pelo Rio Minho e pelo Oceâno Atlântico a oeste.

No interior da região predominam as serras.

Vinho Verde

Um ponto interessante a se comentar da região do Vinho Verde, é que ainda subsistem residualmente as mais antigas formas de condução da vinha, sendo uma delas, a vinha de enforcado ou uveira: as videiras são plantadas junto a uma árvore e crescem apoiadas nos ramos da árvore de suporte.

Sua Denominação de Origem divide-se em nove sub-regiões: Monção, Lima, Basto, Cávado, Ave, Amarante, Baião, Sousa e Paiva. Cada uma produz formas distintas de Vinho Verde, sendo marcadas as diferenças dos vinhos produzidos no sul e no norte da região.

O vinho tinto produzido na região dos Verdes, outrora o vinho que dominava a produção da região, é actualmente consumido quase exclusivamente pelas populações locais. Este vinho é muito ácido e tem uma cor vermelha bastante carregada. É elaborado a partir de castas como Vinhão, Borraçal, Brancelho, entre outras, sendo apreciado para acompanhar a gastronomia típica da região.